[Review] AMD Richland A10 6700, “a opção econômica”

TELA AMD Review A10 6700A cada geração as APUs são capazes de fornecer mais capacidade de processamento e gráficos, hoje em dia já não vivemos mais a época dos extremos, precisamos de um equilíbrio entre placa de vídeo e processador e a AMD foi capaz de nos fornecer isso com opções para todo tipo de tarefa e que cabe em todos os bolsos. Atualmente no Brasil ainda estamos começando a nos acostumar com a presença das APUs da série “Trinity” como o A8 5600K (review) e o A10 5800K (review) que já testamos e aprovamos por aqui, mas suas sucessoras já estão chegando com a geração “Richland”, e nós testamos a alternativa ao top de linha A10 6700 que traz novidades.

Não é apena para games

Antes de falar qualquer coisa sobre APU é importante deixa algo bem claro, elas não foram desenvolvidas apenas para jogos, alias está bem distante disso. Talvez pelo costume ou por vício de vendedores e os ditos entendidos, o consumidor pode ser distanciado de uma APU na hora da compra com a falsa ilusão de que o produto é voltado somente para um gamer casual, o que é um mito. Hoje existem vários modelos de APUs no mercado de todas as gerações e preços que são indicadas tanto para quem quer apenas navegar na internet, editar fotos e executar tarefas do dia a dia como quem busca alto desempenho em condições mais complexas como edição pesada e jogos de última geração.

Llano x Trinity x RichlandO mais interessante nesse mundo de opções é que basta apenas você definir para o que precisa do computador e escolher qual APU será capaz de entregar o desempenho necessário sem ter que fazer milhares de contas e economizar o dinheiro do almoço para chegar em um equilíbrio entre processador e placa de vídeo, existe uma APU na medida para cada tipo de usuário, então não é preciso gastar em uma APU de alto desempenho apenas para navegar na internet.

Quando dissemos que não é apenas para jogos (nos referindo a GPU integrada nas APUs) é literalmente, hoje já existem programas que utilizam a GPU para o processamento não apenas dos gráficos mas como auxilio para as demais tarefas, o que é uma enorme vantagem se compararmos a quantidade de núcleos e a potência de cada GPU integrada, mesmo nos modelos mais modestos de APU.

AMD A10 6800K processador

De onde surgiu a APU?

Em todos os reviews de APUs que realizamos repetimos esse pequeno resumo de como surgiu a tecnologia pois achamos importante entender de onde ela surgiu. Em 2006 a AMD anunciou a fusão com a fabricante de placas de vídeo ATI pois tinha planos maiores e pouco tempo depois das empresas se fundirem começamos a ouvir falar sobre a tecnologia “Fusion” que, segundo a empresa, seria algo completamente inovador que iria unir processador e chip gráfico. Na época não era fácil imaginar como seria isso e logo começamos a nos confundir com as tecnologias e novos nomes dados aos produtos AMD, surgiu o nome “Vision” usado pela empresa para que o usuário encontrasse mais facilmente o produto que atende suas necessidades e a tecnologia “Fusion”, que em vários casos foi usada como ilustração para a integração ente placa mãe, processadores e GPUs AMD/ATI, mas não era realmente disso que se tratava a tecnologia Fusion, ela “misturava” todos estes componentes de um PC mas nãos desta forma e em 2011, nós finalmente descobrimos o que significava.

AMD buy ATIDepois de muita expectativa, anos de desenvolvimento e algumas confusões com os nomes, nós conhecemos as Acelerated Processing Units (APU) que realmente se tratava da tecnologia Fusion que unia processador e chip gráfico. O novo produto significava um enorme avanço na tecnologia, a placa mãe desenvolvida para as APUs de primeira geração (codinome Llano) utilizava um novo socket e dispensava o uso de vídeo onboard, integrando um chip gráfico da série HD 6000 capaz de rodar jogos em detalhes médios oferecendo suporte a DirectX 11, em 2012 a AMD lançou a segunda geração de APUs (codinome Trinity), hoje estamos na terceira geração de APUs (codinome Richland) que trazem gráficos da série HD 8000. Caso queira entender melhor como funciona uma APU confira o vídeo abaixo:

Semelhanças com PlayStation 4 e Xbox One

Com a confirmação de que a AMD vai fornecer os chips que vão equipar PlayStation 4 e Xbox One a empresa alcançou o domínio do mercado de consoles da próxima geração (já que também fornece a GPU para o Wii U) e o mais interessante disso tudo é que os consoles estão equipados com APUs personalizadas similares as vendidas para o mercado de PCs e notebooks com algumas modificações. O Richland A10 6700 não compartilha os mesmo núcleos “Jaguar” dos consoles da Sony e da Microsoft que ficaram restritos ao modelos das série Kabini e Temash para notebooks, mas ainda é uma APU e possui semelhanças com aquelas que equipam os consoles.

PS4 and Xbox one

Ainda que um pouco distantes, as semelhanças podem ser muito benéficas para as APUs, com os estúdios produzindo jogos otimizados para a arquitetura que integra CPU e GPU tirando o máximo de proveito do poder de processamento que ela tem a oferecer, com isso é esperada também uma certa “vantagem” nos PCs, notebooks ou tablets equipados com APU que devem ser beneficiados com jogos que tirem maior proveito das capacidades do produto, por enquanto isso é apenas uma expectativa mas dada a experiência com as APUs de gerações anteriores que executaram jogos e programas sem otimização para sua arquitetura e ainda sim se saíram bem, esperamos algo superior com as APUs Richland e posteriores.

O que tem de novo?

Entre as novidades das APUs Richland está o suporte a memória RAM com frequência de 2133 MHz, característica capaz de aumentar drasticamente o desempenho, principalmente na GPU que é influenciada diretamente pelo clock que é compartilhado com o das memórias, infelizmente a possibilidade só está disponível no modelo top de linha, o A10 6800K. Os modelos inferiores como o A10 6700 continuam com as frequências de 1866 MHz (no A8 e A6) e 1600 MHz (nos modelos A4). O TurboCore 3.0 foi outra importante evolução, o recursos agora além de gerenciar o aumento de clock da CPU agora também gerencia a carga da GPU e direciona a energia conforme a necessidade intercalando entre GPU e CPU.

AMD A10 6800K tecBasicamente a série Richland é uma evolução da geração anterior, Trinity, mantendo todas as características que já apresentamos em nossos reviews anteriores, as diferenças são as GPUs da linha HD 8000 (releituras das HD 7000D da geração anterior com leve aumento nos clocks, cores e memória), clocks maiores, uma melhora na controladora de memória e o suporte a 2133 MHz. O Socket FM2 foi mantido, então se você possui uma APU Trinity ou adquirir um modelo de placa mãe mais antigo deve necessitar apenas de uma atualização de BIOS (consulte a lista de suporte a processadores no site de cada fabricante).

“A placa de vídeo do processador”

A grande sacada da APU é integrar CPU e GPU ou colocando de uma forma mais simples, embutir a placa de vídeo no processador. A novidade põe fim a necessidade de um chip de vídeo integrado na placa mãe diminuindo o custo de produção, além disso a GPU presente nas APUs apresenta uma performance muito acima das onboard presentes na placa mãe, a placa de vídeo (GPU) embutida no A10 6700 é uma HD 8670D responsável pela maior evolução em relação a geração anterior, a quantidade que pode ser compartilhada subiu de 512MB para 768MB. A GPU é a mesma utilizada no A10 6800K e possui as mesmas configurações, exceto pela frequência de memória.

Os clocks também aumentaram, enquanto a GPU do A10 5800K tem 800 MHz de clock o A10 6700 vem com 844 MHz, uma pequena diferença que influi bastante no desempenho. A HD 8670D presente no A10 6700 é a GPU mais poderosa da geração Richland, ela apresenta 384 Radeon Cores 2.0 frente aos 256 Radeon Cores da HD 7560D presente no A10 5800K da geração Trinity tudo isso acompanhado do suporte a Ditrect X 11 e a vários monitores através do Eyefinity, características que tornam a HD 8670 a mais poderosa das GPUs presentes em todas as gerações de APUs.

GPU A10 6800K

Compre uma APU e ganhe um jogo “grátis”

O fato das APUs não serem voltadas apenas ao gamer casual não quer dizer que eles também não sejam um público importante, como prova disso e da evolução em termos de processamento gráfico das APUs a AMD incluiu os modelos top (A8 e A10) no programa “Never Settle Forever” que da até três jogos para quem compra produtos AMD, no caso das APUs top o comprador tem direito a apenas um jogo, mas isso já um grande atrativo na hora da compra. Mais informações aqui.

Never Settle Forever Brasil

O A10 6700 serve para quem?

A terceira geração de APUs da série A seguem o mesmo posicionamento em relação aos modelos com pequenas alterações quanto a numeração mas seguindo o método adotado nas gerações anteriores, os modelos A4 e A6 dual-core continuam sendo os modelos de entrada voltados aos usuários que utilizam seu PC ou notebook para tarefas como navegar na internet, assistir a vídeos em alta definição, e curtir jogos menos exigentes em resoluções baixas e médias, as APUs A8 e A10 quad-core com GPUs de alto desempenho são os modelos “top de linha” capazes de executar as tarefas mais pesadas como edição avançada de vídeos e jogos mais atuais que podem ser executados com detalhes médios e, em alguns casos, até em detalhes altos com resolução Full HD.

As APUs A4 de terceira geração são um dos mistérios do mercado que aparecem entre os produtos disponíveis mas que ainda não tem sua distribuição muito clara, enquanto isso as APUs A4 da geração anterior (Trinity) preenchem o lacuna deixada, o que faz certo sentido já que segundo as informações disponíveis sobre as A4 Temash elas são versões levemente melhoradas de suas antecessoras.

APU ideal para mim

Compre uma placa de vídeo e ganhe duas

A APU se torna um grande investimento quando se leva o Dual Graphics em consideração, com ele podemos integrar o funcionamento de placas offboard as APUs sem que a GPU integrada na APU fique sem uso, o que abre a possibilidade para que os usuários que experimentaram o desempenho das APUs e querem obter um desempenho gráfico maior para games e aplicações optem por placas de vídeo offboard de baixo custo e combinem com o gráfico integrado.

Diferente das séries anteriores, com as APUs da série Richland o Dual Graphics não está disponível para toda a gama e as APUs da série A4 não possuem o recurso (conforme descrito no site da AMD) mas os demais modelos, mantém o suporte. Com esse recurso é possível aumentar o desempenho em games adicionando uma placa de vídeo offboard discreta, cada APU deve ser combinada com uma placa de vídeo específica, as da série A6 podem ser combinadas apenas com a Radeon HD 6450, a série A8 podem trabalhar com uma Radeon HD 6570 enquanto que o A10 6700 pode ser combinado com a HD 6670 que custa hoje em média R$ 250,00.

Dual Graphics AMD Richland série AA grande vantagem do Dual Graphics é que com um investimento modesto frente a uma placa de vídeo mais cara você terá duas GPUs no seu PC pois, a que está integrada no processador irá trabalhar em conjunto com a offboard em uma forma de “Crossfire Híbrido”. Um dica é optar por uma boa fonte na hora de montar seu PC com APU para que, caso decida fazer um crossfire híbrido, não precise gastar novamente, a melhor opção seria uma fonte de no mínimo 400 W reais de boa qualidade.

Radeon HD 6670 referencia

Baixo desempenho com apenas um pente de memória RAM

Sempre reforçamos essa dica que pode jogar pelo ralo o investimento em uma APU. Hoje existem inúmeras lojas especializadas que montam configurações personalizadas de PCs, muitas delas já oferecem o A8 e A10 como uma opção para os gamers casuais, mas em alguns casos acontece uma situação constrangedora, o processador não apresenta o desempenho esperado e o consumidor se vê obrigado a adquirir uma placa de vídeo discreta para cumprir com o que ele achava que a APU seria capaz de entregar, mas a culpa não é do processador.

Um detalhe simples mas muito importante é capaz de jogar o desempenho de qualquer APU lá em baixo, quando ela é combinada a apenas um pente (módulo) de memória RAM ela não é capaz de apresentar todo o seu potencial, isso porque a GPU integrada no processador compartilha a memória RAM assim como sua banda, se utilizar apenas um módulo a GPU irá entregar apenas 64 bits de BUS (largura da “porta” de dados) e com dois módulos ela irá alcançar os 128 bits de que é capaz. A quantidade de memória RAM que aconselhamos é de no mínimo 8 GB (dois pentes de 4 GB).

vengeance DDR3

O desempenho da GPU depende do clock da memória

A velocidade do módulo escolhido também é importante bem como a quantidade de RAM, principalmente se você optar pelo modelo que testamos. Como o clock de 2133 MHz é exclusividade do A10 6800K, o A10 6700 fica limitado a 1866 MHz DDR3, portanto a escolha de módulos que suportem esse “clock” (velocidade) aumenta significativamente o desempenho. Nós optamos por seguir nossos padrões utilizados nos testes anteriores e mantivemos o clock de 1600 MHz mas aproveitamos para testar o desempenho em clocks maiores e podemos afirmar que o aumento é realmente significativo com um ganho de em média 5-8 FPS,  transformando o A10 6700 em uma ótima opção para entusiastas e gamers.

Infelizmente entre o consumidor comum o clock das memórias não é algo levado em consideração na hora da compra de uma computador equipado com APU e as vezes a opção é pela quantidade de RAM ao invés de frequência, o que infelizmente resulta em um desempenho inferior nos jogos. Apesar de não ser um fator que possa ser controlado pela AMD, isso pode ser um fator negativo já que o overclock, principalmente das memórias, não é uma prática obrigatória nem comum entre os usuário que procuram na APU uma opção completa e simples frente as complicações de montar uma configuração de bom “custo x benefício” envolvendo processador e placa de vídeo, portanto ao mesmo tempo que é um avanço e uma grande vantagem do produto, o suporte a memórias com clocks diferentes em modelos variados pode confundir o consumidor menos informado.

AMD A10 6700 processador pin

A memória RAM da AMD

Para tentar driblar as variáveis de uma configuração a AMD oferece uma solução para facilitar a vida do consumidor, a algum tempo a empresa disponibiliza no mercado seus próprios módulos de memória RAM, as “Radeon Memory” que são fabricadas por empresas conceituadas como Patriot e VisionTek, elas recebem o selo AMD e otimizações para trabalhar perfeitamente com as APUs. Em uma conversa com Roberto Brandão da AMD ele nos explicou que as Radeon Memory são otimizadas para, quando suportado pela placa mãe, alterar sua frequência para obter o máximo desempenho em conjunto com as APUs, uma grande vantagem para quem não possui muitos conhecimento quando o assunto é overclock ou configurações avançadas. Infelizmente não recebemos nenhum módulo RAM AMD para os testes em conjunto com as APUs até o momento.

As Memórias AMD Performance são encontradas em módulos de 2, 4 e 8GB DDR3 com um visual interessante e um preço realmente convidativo lá fora, infelizmente elas ainda continuam de fora do mercado brasileiro e sem qualquer informação sobre a disponibilidade por aqui.

AMD Radeon memroy gamer series

Mais frio e silencioso

Para os testes com o A10 6700 não recebemos o cooler box comercializado com o produto, então novamente optamos pelo cooler utilizado nos testes com o A10 5800K e A8 5600K, um cooler vendido com processadores AMD que possui as mesmas especificações do que acompanha as APUs vendidas no mercado. Reproduzindo a situação real de uso montamos o A10 6700 em um gabinete fechado, mesmo com um clock um pouco superior ao A10 5800K o nível de ruído foi o mais baixo entre as APUs testadas até o momento e as temperaturas se mantiveram baixas e estáveis graças ao baixo TPD de 65W.

Phenom II X4 970 cooler box

Onde o A10 6700 “se encaixa”?

O A10 6800K é a APU mais potente no mercado mas você precisa ficar atento a numeração que sucede a nomeação, o A10 5800K é o top de linha da geração anterior (Trinity) enquanto que o A10 6800K é o mais poderoso da série atual (Richland) .O A10 6700 se encaixa logo abaixo dele sendo uma opção mais “econômica” com clock base do de processador um pouco menor do que o modelo top mas que em modo “Turbo” chega a uma diferença mínima de 100 MHz, o clock de memória também é menor limitado 1866 MHz e o TPD fica em 65W. Conforme já explicamos, as APUs são identificadas por letras e números que as classificam de acordo com seu desempenho como C-50 e E-450, na série “A” temos o A4, A6, A8 e A10 sendo de forma crescente o A4 o mais modesto e o último, o A10, o mais potente.

As APUs possuem atualmente três gerações comercializadas no mercado, entre elas as da série Llano identificadas pela numeração 3000 após a identificação (como A8 3850, por exemplo), as da série Trinity (como o A10 5800K) e da série Richland (como o A10 6800K). Uma forma fácil de separar as APUs da primeira geração é que ela ainda utilizam socket FM1 e gráficos da série Radeon HD 6000, as APUs de segunda geração utilizam placas-mãe com socket FM2 e trazem gráficos da série Radeon HD 7000, as APUs de terceira geração também utilizam placas-mãe com socket FM2 mas trazem gráficos da série Radeon HD 8000 , então procure sempre conferir as especificações para não se confundir na hora da compra.

AMD-Richland-Desktop-APU-lineup

Especificações técnicas

AMD A10 6700 Richland specifications

Como testamos?

Nós preferimos deixar os benchmarks com programas específicos e comparativos de desempenho para nossos colegas, aqui o assunto principal é o desempenho nos games. Utilizamos o FRAPS para medir o FPS (Frames por segundo) sempre em situação real, realizamos os testes enquanto jogamos e as temperaturas são medidas pelo GPU monitor, as médias obtidas são somadas e depois divididas pela quantidade de testes realizados.

“Catalyst beta e desempenho duvidoso”

Para realizar o review do A10 6700 tivemos que utilizar uma versão “beta” (ainda em testes) do Catalyst (pacote de drivers e softwares), o que afetou um pouco os testes devido a alguns problemas na hora da instalação resolvidos após algumas configurações, algo comum para um produto que ainda não havia sido lançado no mercado na época mas que gera uma ressalva quanto aos resultados. Por não se tratar da versão final do driver que será disponibilizado junto ao produto quando comercializado no mercado, o desempenho pode sofrer leve alteração, o que não é algo negativo já que a tendência é de que haja um aumento de performance em relação aos testes com o Catalyst beta mas é uma observação importante a ser feita antes de interpretar os números uma vez que nos testes anteriores utilizamos a versão final do Catalyst já otimizada e atualizada.

Com o que testamos?

Configuração utilizada:

Placa mãe Gigabyte GA-F2A85X UP4

Processador AMD APU Trinity A10 6700K  4.3 GHz – 3.7 GHz (stock)

Chip gráfico (integrado no processador) – Radeon HD 8670D

Memória – 8 GB DDR3 (4+4) 1600 Mhz (stock)

HD Segate 500 GB 7200 RPM

Fonte Seventeam 550 PAM (550W)

Monitor LG 21,5” (1920×1080, 5ms resposta)

Windows 7 64 (Service Pack 1)

Conexão – DVI Resoluções – 1920×1080, 1600×900 e 1280×720

Versão do driver de vídeo: AMD Catalyst 13.6 “BETA”

Entenda os números (FPS)

Realizamos os testes  utilizando alguns dos jogos mais “pesados” do mercado para que você tenha uma visão geral do desempenho, também utilizamos alguns dos lançamentos mais recentes e famosos do mercado. Para os testes com vídeo onboard, notebooks, APUs ou processadores com gráfico integrado optamos por mudar a forma como realizamos os testes, diferente das placas de vídeo “offboard” dedicadas.  Já que são produtos de “entrada” (para consumidores menos exigentes ou que pretendem investir pouco), utilizamos as opções de gráficas mais baixas de que os jogos dispõe com todos os filtros desativados. O interessante neste modelo é que quando o produto obtém uma média alta de FPS com os detalhes no mínimo, isso significa que ainda há uma “sobra” de desempenho para que você possa aumentar os detalhes e ligar alguns filtros, se um jogo não roda bem em uma resolução pode alcançar um bom desempenho em uma resolução menor, até mesmo com detalhes “máximos”.

Entendemos que a média mínima de FPS aceitável para que a experiência de jogo não seja prejudicada é de 25 FPS, abaixo disso se torna praticamente impossível jogar, mas você deve prestar muita atenção antes de julgar o desempenho do produto testado, pois mesmo quando ele não é capaz de obter uma média acima de 25 FPS não significa que o desempenho foi ruim pois as placas de baixo custo, por exemplo, nem sempre são desenvolvidas para rodar os jogos em altas resoluções ou com detalhes no máximo e sacrificam um pouco do desempenho em favor do baixo custo.

Avalie o desempenho

Sempre que analisar um review leve em consideração o foco do produto, se ele é ou não voltado a obter o máximo de desempenho ou se a intenção é equilibrar desempenho e custo. A compra de um hardware deve ser medida pelo conjunto custo x benefício, se a placa de vídeo ou processador em teste não é capaz de executar algum dos jogos testados “no máximo” pode ser possível uma melhora de desempenho desativando algum filtro ou diminuindo a resolução se o seu objetivo é obter um produto mais em conta, mas se está em busca do melhor, ele deve ser capaz de executar os jogos com todos os filtros a uma média sempre acima do recomendado. Note que quanto mais desempenho um produto oferece mais caro ele será.

Crysis 3

Benchmark A10 6700 - Crysis 3

 

Bioshock Infinite

Benchmark A10 6700 - Bioshock Infinite

Battlefiled 3

Benchmark A10 6700 - Battlefield 3

GRID 2

Benchmark A10 6700 - GRID 2

Tomb Raider (2013)

Benchmark A10 6700 - Tomb Raider 2013

Far Cry 3 – Blood Dragon

Benchmark A10 6700 - Far Cry 3 Blood Dragon

Call of Duty: Black Ops II

Benchmark A10 6700 - Call of Duty Black Ops II

O que achamos, vale a pena comprar?

Com a chegada dos consoles da próxima geração agendada para o final de 2013, a AMD optou por lançar as APUs Richland no primeiro semestre para continuar alimentando um mercado que ainda descobre o potencial da geração Trinity mas já se prepara para lançar uma nova geração que irá compartilhar os núcleos Jaguar presentes no Xbox One e PlayStation 4. Pode parecer uma má ideia lançar um produto que compartilha praticamente todas as características da geração anterior mas na verdade é algo positivo, a geração Richland mantém todas as vantagens que já constatamos na geração Trinity e traz melhorias como o aumento no clock do processador, GPU e memórias oferecendo assim um produto que tirou o máximo do potencial da arquitetura e melhorou o que falta na geração anterior.

A geração Richland mantém todos os recursos presentes na geração anterior como modo “Turbo” que eleva o clock de forma automática conforme a necessidade de mais desempenho até a faixa de 4.4 GHz e o ótimo desempenho nos jogos em resolução HD (1280×720) que tem sido a ideal por cominar alta taxa de FPS com detalhes mínimos e ainda deixar uma que possibilita o aumento dos detalhes gráficos e filtros, equilibrando uma boa experiência visual e performance. Infelizmente por manter a mesma arquitetura e não representar um grande “salto” os resultados com os jogos não foram tão animadores e mesmo com uma GPU provida de mais memória e clock superior o A10 6700 apresentou resultados instáveis onde em momentos supera o A10 5800K em determinadas resoluções e em outras perde até mesmo para o A8 5600K, um resultado que também pode ser atribuído ao driver “beta” podendo haver uma melhora em performance com versões mais estáveis do Catalyst.

Para os usuários que não tem interesse em overclock o A10 6700 é a opção ideal, com um consumo de energia muito menor do que o A10 6800K e compartilhando a mesma GPU e um clock próximo em modo turbo. Ao retirar os recursos de overclock característicos dos APUs que possuem o “K” ao final de sua nomeação a AMD também é capaz de oferecer uma opção mais em conta para o consumidor que pode ter um modelo top de linha por um investimento menor, ideal para o usuário comum que precisa de uma solução mais econômica para o dia a dia mas também pretende curtir alguns games casualmente. Infelizmente o A10 6700 ainda não está disponível no Brasil, por isso não temos uma estimativa de preço mas no exterior por enquanto o modelo é vendido ao mesmo preço do A10 6800K, o que não o torna um investimento muito inteligente frente aos recursos do outro modelo, por isso ainda precisamos aguardar para avaliar esse quesito.

Se você pretende comprar um A10 6700 ele será uma ótima opção em custo x benefício mas é preciso levar em consideração o preço que será pago por ele, caso o preço esteja muito próximo aos modelos top de linha das gerações Trinity (A10 5800K) e Richland (A10 6800K) ele passa a ser um mal investimento devido a proximidade em desempenho e recursos. Por se tratar de um modelo “simples” do A10 6800K, o A10 6700 se saiu bem nos testes mas não chega a surpreender e seu sucesso no mercado vai depender muito do valor de revenda por aqui.

Qualificação SILVER:

Selo Silver Qualidade

 

Pontos positivos:

– Gráficos DirectX 11.

– Mantida a compatibilidade com socket FM2.

– Ganho de desempenho com overclock de memória.

– Suporte a Tecnologia Eyefity de múltiplos monitores.

– Melhor gerenciamento de CPU e GPU com o Turbo Core 3.0.

–  TPD de 65W.

– Economia de energia.

– Baixa temperatura.

Pontos negativos:

– Pouco ganho de desempenho em relação a geração anterior.

– Temperatura elevada em carga máxima.

– Performance similar a geração Trinity.

– Baixa disponibilidade.

Deixe a sua opinião

Queremos realizar testes que sejam uteis a maioria dos gamers, sejam eles hardcore ou apenas jogadores casuais, por isso precisamos da sua participação para fazer um review que contenha exatamente o que você quer saber sobre o hardware para facilitar na hora da compra ou nas comparações. Deixe sua sugestão, o que você gostaria que aparecesse em nossos testes?

Por: Lock Gamer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s