Intel lança sua nova linha High-End de processadores e simplificamos para você quais as novidades

Em Agosto de 2015, a Intel lançou sua sexta geração de processadores Skylake. Essa nova arquitetura chegava somente dois meses após o lançamento dos processadores Broadwell para desktop, sem dúvidas a passagem a uma nova arquitetura mais rápida da historia da empresa.

Os processadores Broadwell Core i7 5775C e i5 5675C não eram ruins, mas também não eram a melhor opção  para substituir a geração anterior, essa que seduziu muitos usuários á subir os Haswell á mais de 5 Ghz. Apesar de oferecer as melhores GPUs integradas, eles apresentavam um baixo rendimento para subir o clock, o que fazia que ficavam quase com menos desempenho do que os últimos I7 4790k ou i 4960k e isso provocou a saída rápida dos Skylakes.

Broadwell-E

Já sabíamos que reveríamos os processadores Broadwell novamente, pois a Intel tem o habito de lançar suas versões High-Ends algum tempo após a versão mainstream.

E hoje (31/05/2016) a Intel lança os Broadwell E com quatro novos modelos. Agora o modelo Extreme com melhor desempenho está tabelado á 1800 euros, no lugar dos tradicionais 1000 euros. Mas com certeza ele terá lugar no mercado entusiasta.

Quando não é necessário gráficos integrados

Cada vez mais os processadores Intel dedicam mais e mais transistores aos circuitos gráficos. O usuários podem muito bem ter um processador Skylake e uma placa mãe de entrada parar aproveitar muito bem várias aplicações e alguns games, mas quando falamos do mercado High-End, é preferível que todos os transistores sejam dedicados ao CPU, pois normalmente esse processador será acompanhado de uma VGA dedicada, o que ajuda a aumentar o numero de cores, cache, controle de memórias e linhas PCIe.

Características Core i7–6950X Core i7–6900K Core i7–6850K Core i7–6800K
Clock padrão (GHz) 3 3,2 3,6 3,4
Clock Turbo máximo (GHz) 3,5 3,7 3,8 3,6
Core/Threads 10/20 8/16 6/12 6/12
Cache L3  (Mo) 25 20 15
Linhas PCIe 40 28
Memórias DDR4–2400
TDP (W) 140
Interface LGA 2011-v3
Valor de mercado ( 31/05/2016) 1800 € 1150 € 690 € 480 €

Os quatros novos modelos 

Core i7-6950x: Com 10 cores em um die, cada core possui 2.5 Mb de cache L3, o que no total da 25 Mb. Os processadores i7 6950x tem como clock padrão 3 Ghz e boost de 3.5 Ghz. O chip também apresenta o tradicional controlador PCIe 3.0 com 40 linhas  e suporte a memorias em Quad Channel DDR4.

Os Broadwell-E são compatíveis com o chipset X99 e Soket LGA 2011-v3. Basta simplesmente atualizar a bios das placas mãe que já estavam no mercado para aproveitar os novos chips.

Passando a nova litografia de 14 nm, permitiu a intel obter o mesmo clock e TDP de 140w do Core i7 5960x, mesmo com 2 cores a mais. Mas o preço desses dois cores é um pouco salgado, passando de 1000 euros para 1800 euros.

Core i7-6900k: Dispondo de 8 cores como o Core i7-5960x, mas agora custando um pouco mais caro, 1150 euros. Com 20Mb de cache L3 igualmente como o i7 5960x. Entretanto com um clock mais elevado em comparação ao seu antecessor.

Core i7-6850k: Com 6 cores e 15 Mb de chace L3, significa que este modelo tem uma margem térmica maior, o que permite ter um clock mais alevado que seu antecessor em 100 Mhz. O Turbo Boost permite que a frequencia se eleva até 3.8 Ghz, 100 Mhz a mais que que o i7 5930k. Este é o processador é o mais barato da linha integrando 40 linhas PCIe.

Core i7 6800k: Outro six core, mas com clock inferior, agora trabalhando a 3.4 Ghz e 3.6 com Turbo Boost. Encontramos os mesmo 15 Mb de cache L3 que o i7 6850k mas com apenas 28 linhas PCIe.

Agora que a NVIDIA tem limitado seu SLI a somente duas VGAs, a perda de 12 linhas PCIe não é um grande problema. 28 linhas PCIe sao suficientes para duas VGAs e até em  conjunto com outras placas que utilizam essas linhas (Placa wi-fi, ou SSD PCIe).

Turbo Boost 3.0

Sei que não é fácil perdoar os aumentos de valores dos processadores Broadwell-E em comparação a linha anterior, mas junto com esses processadores chega funcionalidade nova.

O Turbo Boost Max 3.0, permite de identificar a performance de cada core, e lança as operações single thread sobre o núcleo com mais desempenho. O objetivo é o uso de frequência mais alta sob esta aplicação. Essa funcionalidade é possível com uso de drivers ou Windows 10.

O Turbo Boost 3.0 não substitui o Turbo Boost 2.0, que ainda está lá variando os clocks de acordo com o a utilização demandada dos cores. O Turbo Boost 3.0 (ou Turbo Max) simplesmente determina que o core mais rápido possá ultrapassar os limites pré-definidos de frequência.

No teste single thread do cinebench onde normalmente a frequência máxima do Core i7 6950x era 3.4 Ghz, com o Turbo Boost 3.0 foi obtido até 4.0 Ghz.

Sem dúvidas tem um limite do que o Turbo Boost Max 3.0 pode fazer. Aqui passando o Prime95 com um thread, logo em seguida dois e três threads: No primeiro teste com um thread o clock obtido foi 3.9 Ghz contra 3.8 com 2 threds, mas com 3 threads já voltamos aos 3.4 Ghz pré-definidos.

Por: LockGamer

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s