[Review] GTX 1050 (não Ti), “a Pascal do povo”

As GPUs Pascal da NVIDIA surpreenderam a todos com seu desempenho, sua eficiência energética e a força bruta trazendo uma nova litografia chamaram a atenção. A fabricante optou por um caminho “tradicional” começando os lançamentos pelos modelos mais poderosos da linha GTX 10 com a GTX 1080 seguida por GTX 1070, GTX Titan e GTX 1060 para só agora atingir o mercado de entrada com as novas GTX 1050 Ti e a GTX 1050 que você vai conhecer agora em nossa análise completa.

Pascal “popular”

Como sempre costumamos dizer por aqui, nós amamos as placas de alto desempenho mas casamos mesmo é com as mais acessíveis. Quem não adoraria ter uma GTX 1080 instalada em seu PC? Mas as vezes o orçamento não chega até lá e não da para simplesmente “juntar um pouco mais”, por isso é que damos tanta atenção as placas como a GTX 1050.

NVIDIA-GeForce-GTX-1050-nao-ti-review-analise-pt-br-Brasil.jpgA NVIDIA não “reciclou” nenhuma placa nessa geração, apesar de contar com bons chips como o da GTX 960 a fabricante optou por trazer a arquitetura Pascal para todos os segmentos do mercado, isso significa que ao comprar uma GTX 1050 você estará adquirindo uma legítima Pascal de última geração com toda tecnologia embarcada nos modelos “mais parrudos”.

Afinal são 16nm ou 14nm

Aqueles que são mais atentos aos detalhes técnicos certamente notaram uma importante mudança de números aos se colocar lado a lado o chip Pacal da GTX 1050 e GTX 1050 Ti com o da GTX 1060, por exemplo. Ainda que compartilhem a mesma arquitetura a GTX 1050 e GTX 1050 Ti possuem chips com a litografia de 14nm ao invés dos 16nm adotados na maioria dos chips da NVIDIA nesta geração.

nvidia-gtx-1050-ti-pcb-3

Em questão de desempenho ou funcionalidade, isso não tem qualquer impacto mais relevante em relação a consumo ou desempenho e a NVIDIA optou pelo processo de 14nm nas GTX 1050 e GTX 1050 Ti apenas por questões de produção.

Nada de Founders Edition pra você

O modelo de referência das GeForce GTX ganharam um nome muito mais “pomposo” nesta geração, “Founders Edition”. Além do fato de passar a ser vendido pela própria NVIDIA os modelos trazem um desempenho “acima da média” com boa margem para overclock apesar de um sistema de refrigeração padrão.

nvidia-gtx-1050-referenciaGTX 1080, GTX 1060 e até mesmo a GTX 1060 receberam versões Founder Edition, mesmo que na GTX 1060 ele seja com partes em plástico. A GTX 1050 recebeu uma Foudners Edition que parece tunada por Low Riders, é basicamente uma versão reduzida da GTX 1060 e ficou bacana, mas ela não está disponível no mercado, então você vai ter que se contentar do com modelos custom mais “baratinhos”.

nvidia_gtx_1050_nao_ti_brasil_pt-bt-referencia_reference-1O modelo de referência da GTX 1050 é este da foto acima, que é bem diferente da mostrada nas fotos, lembra muito a GTX 750 Ti de referêbcia que testamos aqui. Traz um cooler bem modesto e nada de “carenagem”, o que é suficiente para cumprir a tarefa de refrigerar a GTX 1050, ele também não está disponível para venda.

SLI apenas para quem faz SLI

NVIDIA-GeForce-GTX-1080-Dual-SLIAssim como já foi predito no review da GTX 1060, tanto GTX 1050 quanto GTX 1050 Ti também não possuem suporte a configurações com multiplas GPUs, a decisão da NVIDIA foi baseada no simples fato de que a maioria (mas a maioria meeeesmo) não faz SLI de placas de baixo custo, então ela resolveu manter esta opção apenas nas GTX 1070 e superiores. Você pode discordar, achar que a NVIDIA tomou o caminho errado mas o fato é este, a GTX 1050 não tem suporte a SLI, viva com isso.

A resposta para os e-Sports

A GTX 950 era a placa que a NVIDIA apresentava para os consumidores que buscavam uma placa de vídeo capaz de rodar games como League of Legends, Dota 2, Counter Strike: Global Offensive e Overwatch, agora quem entra em seu lugar é a GTX 1050 com a missão de atender a demanda e entregar 60 FPS em Full HD com altos níveis de detalhes.

Para atingir taxas de FPS mais elevadas é muito simples, basta diminuir um ou outro detalhe para conseguir números perfeitos para o competitivo.

“Full HD me basta para viver”

performance-gtx-1050-vs-gtx-750ti.jpgEstá procurando uma placa de vídeo para Full HD? Bem vindo Sr., pegue seu ingresso e sente-se para assistir ao restante do review pois a NVIDIA pensou na GTX 1050 para isso mesmo. A placa foi pensada para empurrar os principais jogos da atualidade em qualidade alta/média acima de 60 FPS, algo que pode parecer uma loucura para alguns aficionados mas é o que basta para manter a imensa maioria dos gamers vivos e extremamente felizes.

Guarde o dinheiro da fonte para “outra coisa”

Compre jogos, mais hardware ou mesmo complete o que ia gastar em uma fonte de alimentação mais cara para comprar a sua GTX 1050. Se a volta do conector de energia de PCI de 6 pinos na GTX 950 foi criticado por nós, temos que tirar o chapéu para a NVIDIA que lançou a GTX 1050 sem a necessidade de um conetor de energia.

nvidia_gtx_1050_nao_ti_brasil_pt-bt-referencia_reference-cooler-2O TDP de 75W é o mesmo da GTX 750 Ti mas o desempenho é bem superior, o que é um exemplo muito claro da evolução da arquitetura Maxwell para a Pascal em eficiência energética, que vai além de apenas pagar uma conta de luz mais barata. Com uma fonte recomendada de 300W (encontrada na maioria dos PCs, mesmo os mais simples) a GTX 1050 é uma opção muito interessante para quem tem um orçamento limitado.

“Plaquinha fresquinha”

Já mencionamos em algum lugar que a arquitetura Pascal levou a eficiência energética a um novo nível e na GTX 1050 podemos dizer que isso foi levado a um ponto máximo. Os modelos de GTX 1050 disponíveis no mercado vão desde os mais simples até os mais sofisticados que tem sistemas de refrigeração que dão quase o dobro do PCB da placa, e eles são desnecessários.

nvidia_gtx_1050_nao_ti_brasil_pt-bt-referencia_reference-dissipation

A GTX 1050 é fria e o sistema mais simples possível do modelo testado dá conta do recado, então prefira o melhor “custo x benefício” e  desencane de querer andar com uma Ferrari com motor de Fusca. Tudo que a GTX 1050 precisa é de um sistema honesto de refrigeração mesmo o de referência sendo pra lá de modesto e não sendo capaz de gelar umas cervas no PCB, ele é bem frio.

“Oveclock para noobs”

“Eficiência e bla, blá, blá… eu não ligo para a conta de luz”, você pode pensar. Mas o fato é que a eficiência e a evolução podem ser vistas nas Pascal graças aos elevados clocks que elas são capazes de atingir, como na GTX 1080 que nós conseguimos fazer chegar facilmente aos 2 GHz com ótimos ganhos e isso não é exclusividade das GTX mais caras.

A GTX 1050 tem um ótimo potencial de overclock e isso sem a necessidade de um conector adicional de energia, isso unido a baixa temperatura de operação torna o overclock não só acessível mas vantajoso na GTX 1050 obtendo ganhos reais em FPS ao invés de apenas 1 ou 2 FPS.

Contra quem a GTX 1050 “briga”?

gtx-1050-vs-gtx-750ti-gtx-1050-tiO mercado de entrada é uma verdadeira guerra e por isso um dos mais competitivos e interessantes. Disputando com a GTX 1050 temos as pratas da casa GTX 750 Ti com um desempenho um pouco inferior mas com preço atraente e baixo consumo além da GTX 950 também abaixo mas com custo interessante, do lado da concorrência temos R7 370 e a nova RX 460 que testamos aqui.

Pode aposentar seu monitor com cabo VGA

Você é daqueles caras desapegados que não ligam muito para resolução ou mesmo para qualidade do monitor e mesmo assim quer comprar uma placa de vídeo da nova geração, nós temos más notícias para você. As placas de vídeo da nova geração tando da AMD quanto da NVIDIA não possuem saídas de vídeo “analógicas”, apenas digitais (DVI-D, HDMI e DisplayPort) e mesmo os velhos apartadores não resolverão o problema.

nvidia_gtx_1050_nao_ti_brasil_pt-bt-referencia_referenceCaso não queira trocar seu monitor terá que se contentar com placas de vídeo das gerações passadas. Se também não pretende investir em uma fonte de alimentação, o mais longe que conseguirá chegar em desempenho é a GTX 950 que possui suporte a VGA, acima disso será preciso investir em uma fonte de alimentação. Então pode ser uma boa hora para trocar seu monitor.

O que a GTX 1050 tem de novo?

Compartilhando os benefícios da arquitetura Pascal presente em modelos mais “caros” da geração GTX 10 (1080, 1070 e 1060) e compartilha apenas um ponto negativo com a GTX 1060 que é a falta de suporte a SLI. O outro único detalhe é que a placa não possui “pode de fogo” para enfrentar o VR e entregar um desempenho satisfatório.

Pascal_recursos-16nm-gtx 1080No mais a placa traz ganhos importantes em relação a geração passada como o GPU Boost 3.0 que aumenta o clock para o melhor desempenho até atingir a temperatura limite o que garante um clock normalmente maior do que o Boost padrão. Além disso, a GTX 1050 naturalmente traz suporte a DirectX 12 e Vulkan além das exclusivas Ansel, Gsync e GameStream além de todas a tecnologias mais atuais.

Sofreria a GTX 1050 de “amnésia”?

Assim como sua antecessora a GTX 1050 possui apenas modelos com 2GB de memória de vídeo (VRAM), o que em alguns jogos pode significar que você não vai conseguir obter o melhor desempenho que a placa pode oferecer em alguns jogos, mesmo em Full HD. Mas até que ponto isso é algo negativo?

A cada dia os jogos exigem mais VRAM para carregar as texturas e as fabricantes tem aumentado para até 8GB a quantidade de memória em modelos mais caros, então porque os de entrada continuam com apenas 2GB? A resposta está na própria razão de existir da GTX 1050, ser barata.

Quando você adiciona mais 2GB de VRAM para completar os 4GB isso custa dinheiro como é possível notar nas RX 460 de 4GB que custam em torno de R$ 100 a mais. Então por mais que ALGUNS jogos exijam mais VRAM a maioria deles pode ser executado com os 2GB e se o objetivo é ser barata parece uma escolha coerente. Então você até pode precisar diminuir a qualidade das texturas em certos games mas precisa decidir se está disposto a gastar mais ou fazer um “sacrifício” em prol do seu bolso.

O GeForce Experience

Com a evolução do hardware e as empresas com produtos tão parecidos em poder de processamento cada vez mais surgem formas de tirar maior proveito daquilo que você comprou. A Nvidia lançou a pouco tempo um aplicativo que reúne uma série de soluções que pode nos ajudar a obter a melhor experiência possível com a placa de vídeo que adquirimos (por isso o nome sugestivo de Geforce Experience), ele traz ideias que prometem mudar a forma como jogamos.

A mais notável das funções é sem dúvida nenhuma a de otimizar os jogos para o seu hardware sem que você precise perder horas seguidas mudando os detalhes do jogo, aumentando ou diminuindo algum filtro e medindo o FPS, o mais legal é que as configurações são sugeridas pela própria Nvidia tem uma equipe trabalhando para testar as mais diversas combinações que possam obter o melhor desempenho com a placa de vídeo que você comprou.

Geforce experience-como configurar-gravação-sem-perder-fps.jpgCom o Geforce Experience também é possível gravar vídeos utilizando menos de 10% da capacidade de sua placa de vídeo com o Shadowplay, algo particularmente valioso para quem possui um hardware mais modesto e quer gravar gameplays. Fizemos o teste e o resultado é mesmo surpreendente, é a melhor solução comparado a outros programas como o FRAPS que consome muito mais da GPU e diminui o FPS. Além disso, o Geforce Experiente ajuda a manter seu PC em dia informando e auxiliando na instalação do driver mais recente para sua placa de vídeo, outra função é o streaming com o Nvidia Shield que é feito através do Geforce Experience.

O conceito é interessante por nos proporcionar não apenas o hardware mas nos oferecer a melhor forma de tirar todo o proveito de seu potencial de uma forma simples, o Geforce Experience pode agradar desde os mais avançados aos iniciantes.

Especificações técnicas

GTX 1050 Ti GTX 1050
NVIDIA CUDA Cores 768 640
Clock básico 1.290 MHz 1.354 MHz
Boost Clock 1.392 MHz 1.455 MHz
Especificações de memória:
Velocidade da memória 7 Gbps 7 Gbps
Configuração de memória padrão GDDR5 de 4 GB GDDR5 de 2 GB
Largura da interface de memória 128 bits 128 bits
Total de largura de banda de memória 112 GB/s 112 GB/s
Suporte de tecnologia:
Multiprojeção simultânea Sim Sim
VR Ready Não Não
NVIDIA Ansel Sim Sim
SLI Ready Não Não
Gsync Ready Sim Sim
GameStream Ready Sim Sim
GPU Boost 3.0 3.0
MS DirectX 12 API com recurso nível 12_1 12 API com recurso nível 12_1
Vulkan API Sim Sim
OpenGL 4.5 4.5
Suporte ao bus PCIe 3.0 PCIe 3.0
Certificação de SO Windows 7-10, Linux, FreeBSDx86 Windows 7-10, Linux, FreeBSDx86
Suporte de tela:
Resolução digital máxima 7680×4320@60Hz 7680×4320@60Hz
Conexão de monitor padrão DP 1.4, HDMI 2.0b, Dual Link-DVI DP 1.4, HDMI 2.0b, Dual Link-DVI
Vários monitores Sim Sim
HDCP 2.2 2.2
Dimensões da placa de vídeo:
Altura 4,38 pol. 4,38 pol.
Comprimento 5,7 pol. 5,7 pol.
Largura 2 slots 2 slots
Especificações térmicas e de energia:
Temperatura máxima da placa de vídeo (em °C) 97 97
Graphics Card Power (W) 75 W
Fonte de alimentação recomendada 300 W 300 W
Conectores de energia Nenhum Nenhum

Confira as especificações completas aqui.

Com o que testamos?

Componentes:

Placa mãe: GA-Z97MX Gaming 5

Processador: Intel Core i7 4790K 4.4 GHz (turbo) 4.0 GHz (stock)

Placa de vídeo: NVIDIA GTX 1050 (referência)

Memória: 16GB DDR3 (2x8GB) Corsair Vengeance 1600 MHz (stock)

Disco Rigido: 3TB 7200 RPM

Fonte: Corsair 850W

Monitor: Benq 22” (1920×1080, 1ms resposta)

Sistema Operacional: Windows 10 64bits

Conexão de Vídeo: DVI Resoluções – 1920×1080 e 1600X900

Versão do Driver de Vídeo: NVIDIA Driver 375.70

Como testamos

Nós preferimos deixar os benchmarks com programas profissionais de edição ou similares para nossos colegas, aqui o assunto principal é o desempenho nos games.

É importante ficar claro que esse sistema não é 100% preciso, então nos permitimos uma margem de 10% para mais ou para menos devido a variações de drivers ou updates em games. Os resultados são “médias” que podem variar de acordo com o cenário escolhido para o teste em cada jogo e com o hardware utilizado como CPU, memória RAM e GPU.

Cada jogo é configurado de acordo com suas opções gráficas, mas no geral utilizamos a seguinte dinâmica:

  • Preset mais alto disponível como ultra e very high em resoluções até 2560×1440 (1440p)
  • Quando em 2160p (4K), reduzimos os filtros de antiserrilhamento AA para FXAA ou desligamos se o jogo não oferecer essa opção;
  • Os testes são feitos com os últimos drivers e versões atualizadas dos jogos e do sistema;
  • A captura das amostras em vídeos é feita com Raptr da AMD ou Shawdowplay da Nvidia que oferecem quedas mínimas de performance;
  • O monitoramento das informações é feito com o MSI Afterburner e a medição de frames é obtida com o FRAPS;
  • As temperaturas são medidas pelo GPU monitor e variam de acordo com o ambiente que não é controlado variando de acordo com os testes.
  • Os valores em frames são obtidos ao rodar o mesmo jogo três vezes no mesmo preset gráfico. Depois, é feita uma média dos resultados obtidos nas três partidas para que fique um valor mais íntegro e tente eliminar variações;
  • Para jogos que não possuem benchmark próprio ou não condizem com as condições gerais de desempenho no jogo, adotamos um save específico disponível para download aqui.
  • Tecnologias proprietárias como Nvidia GemeWorks, PhysX e AMD Tress FX são desativadas para obter uma média justa de comparação.

Entenda os números (FPS)

Optamos por realizar os testes utilizando alguns dos jogos mais “pesados” do mercado para que você tenha uma visão geral do desempenho, utilizamos sempre a configuração predefinida mais alta de que o jogo dispõe sem alterar manualmente. Entendemos que a média mínima de FPS aceitável para que a experiência de jogo não seja prejudicada é sempre acima de 30, abaixo disso já é possível notar a diferença, mas você deve prestar muita atenção antes de julgar o desempenho do produto testado.

Mesmo quando ele não é capaz de obter uma média acima de 30 FPS não significa que o desempenho foi ruim pois as placas de baixo custo, por exemplo, nem sempre são desenvolvidas para rodar os jogos em altas resoluções ou detalhes no máximo e sacrificam um pouco do desempenho em favor do baixo custo. Procure sempre a configuração ideal para cada hadware diminuindo detalhes até alcançar um equilíbrio ideal de desempenho e lembre-se se identificar qual é o foco de desempenho ao qual a GPU ou CPU se propõe.

 Avalie o desempenho

Sempre que analisar um review leve em consideração o foco de produto, se ele é ou não voltado a obter o máximo de desempenho ou se a intenção é equilibrar desempenho e custo. A compra de um hardware deve ser medida pelo conjunto custo x benefício, se a placa de vídeo ou processador em teste não é capaz de executar algum dos jogos testados “no máximo” pode ser possível uma melhora de desempenho desativando algum filtro ou diminuindo a resolução se o seu objetivo é obter um produto mais em conta, mas se está em busca do melhor ele deve ser capaz de executar os jogos com todos os filtros a uma média sempre acima do recomendado. Note que quanto mais desempenho um produto oferece mais caro ele será.

Desempenho em jogos

BATTLEFIELD 4

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-battlefield-4-pt-br

CALL OF DUTY: BLACK OPS III

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-black-ops-iii-pt-br

CRYSIS 3

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-crysis-3-pt-br

DEUS EX: MANKIND DIVIDED

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-deus-ex-mankind-divided-pt-br

DIRT RALLY

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-dirt-rally-pt-br

FAR CRY PRIMAL

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-far-cry-primal-pt-br

GTA V

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-gta-v-pt-br

HITMAN 2016

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-hitman-2016-pt-br

RISE OF THE TOMB RAIDER

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-rise-of-the-tomb-raider-pt-br

THE WITCHER 3: WILD HUNT

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-the-witcher-3-pt-br

FPS MÉDIO EM 10 JOGOS:

1920×1080 (Full HD)

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-1080p-pt-br

1600X900 (900p)

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-900p-pt-br

TEMPERATURA

Mesmo com um sistema de refrigeração e dissipação tão simples quanto o modelo de referência testado, as temperaturas se mantiveram próximas aos 70ºC, o que parece alto mas dado ao baixo nível de ruído é bem aceitável. As temperaturas são medidas utilizando o GPU-Z, a placa foi testada dentro do gabinete fechado. A temperatura ambiente varia entre 22 ºC e 27ºC sendo os resultados medidos in-game.

benchmark-nvidia-gtx-1050-nao-ti-desempenho-temperatura-pt-br

Testes FX 6300

Também resolvemos combinar a GTX 1050 com um processador “baratinho” para ver como ela se sairia, para a missão recrutamos o AMD FX 6300 setado em 4.1 GHz, confira os resultados e o FPS.

 O que nós achamos, vale a pena comprar?

A NVIDIA sempre deu muita atenção ao mercado de entrada, o que explica porque os consumidores continuam optando pelos modelos da fabricante mesmo quando partem para placa mais “poderosas”. É aqui que se concentra a grande massa de jogadores e oferecer um modelo de entrada sempre com as mesmas tecnologias das placas “top de linha” é uma demonstração de como a NVIDIA se preocupa com este segmento.

Sem os preços se estabilizarem ainda não é possível avaliar o custo x benefício da GTX 1050, mas baseando-se no preço sugerido pela NVIDIA de R$ 599 ela deve sofrer com o fator lançamento que incha os preços até deixar de ser novidade tornando as concorrentes ou mesmo modelos da geração passada como boas opções como GTX 950, GTX 750 Ti e R7 360.

O modelo de referência da NVIDIA, apesar de não ser comercializado, nos dá uma base para comparar com modelos custom e a conclusão é que se um sistema de dissipação tão simples é capaz de manter a placa em bons níveis de ruído e temperatura, um modelo custom (mesmo o mais barato) pode obter um resultado ainda melhor.

Os 2GB de memória podem fazer falta na hora de rodar jogos mais pesados em Full HD mas o baixo consumo e temperatura além do bom desempenho em títulos de eSports em qualidade alta, suporte a Gsync e a capacidade de encarar os games atuais em qualidade média/alta em 1080p podem compensar.

Se você já possui um modelo de entrada da geração passada a GTX 1050 não é uma opção já que o ganho é bem pequeno mas se está montando seu primeiro PC ou saindo de gerações mais antigas e pretende investir pouco no upgrade a GTX 1050 é uma ótima escolha, tudo vai depender do preço em que você a encontrar já que, mesmo com desempenho levemente inferior, existem opções mais em conta.

QUALIFICAÇÃO SILVER:
Selo Silver Qualidade

Pontos positivos:

– Baixo consumo

– Temperatura

– Displayport 1.4 HDR e HDMI 2.0

– Suporte a Gsync

– TDP de 75W

Pontos negativos:

Pouco ganho em relação a GTX 950

– Preço (anunciado) elevado 

DEIXE A SUA OPINIÃO

Queremos realizar testes que sejam uteis a maioria dos gamers, sejam eles hardcore ou apenas jogadores casuais, por isso precisamos da sua participação para fazer um review que contenha exatamente o que você quer saber sobre o hardware para facilitar na hora da compra ou nas comparações. Deixe sua sugestão, o que você gostaria que aparecesse em nossos testes?

Por: Lock Gamer

Anúncios

Um comentário sobre “[Review] GTX 1050 (não Ti), “a Pascal do povo”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s