10 anos depois: Intel pode lançar CPUs 6 núcleos “Coffe Lake” em 2018

No ano passado, um conjunto de slides da Intel vazou, indicando que em Coffee Lake, provavelmente teremos CPUs de 6 núcleos entrando na linha principal de processadores da marca. Desde o início da série Core, 4 núcleos é o máximo que vimos em sua principal plataforma.

intel-core-i7-e1482883193803

De acordo com novas informações vazadas, já é possível ter certeza que à geração cujo codinome será Coffee Lake contará com 6 núcleos nos processadores e pode chegar no início de 2018. Coffee Lake também deve ser um outro nó de 14nm para seguir ao lado da sétima geração de processadores Intel, cujo codinome é Kaby Lake.

Relatórios sugerem que, enquanto os chips para notebooks e dispositivos móveis de baixa potência chegarão com a geração de codinome Cannon Lake que virá com 10nm, a plataforma de desktop será manterá os 14nm em futuros lançamentos. Para atrair melhor os usuários, a Intel estaria trabalhando na liberação de processadores six core para a sua principal plataforma, cujo Socket ainda não foi divulgado. Também é esperado que Coffee Lake venha para competir com a linha Ryzen AMD que entrará oferecendo processadores com 6 núcleos e 8 núcleos com um preço mais acessível.

Por enquanto, nenhuma dessas informações foi confirmada pela Intel, mas não seria surpreendente que depois de uma década mantendo-se com processadores quad core em sua linha principal, a empresa finalmente decida por migrar para six core.

Por: Lock Gamer / Info: www.eteknix.com

Anúncios

Um comentário sobre “10 anos depois: Intel pode lançar CPUs 6 núcleos “Coffe Lake” em 2018

  1. Gordon Moore deve estar decepcionado pelos engenheiros da Intel não ter levado sua “lei” adiante e ainda por cima, ver a Intel amargar outra geração sem reduzir a litografia de seus processadores – a quarta geração em 14nm, ao menos até a data de lançamento em 2018, afinal, mudanças podem ocorrer até lá.
    A Nvidia, pelo contrário, apesar de atuar em segmento diferente em relação a Intel, conseguiu fazer com o Maxwell, mesmo em 28nm, algo inovador, permitindo um ganho excepcional de desempenho frente a geração passada, também em 28nm. Ela bem que poderia revelar seu segredo para a Intel promover este mesmo ganho nos Coffee Lake :D

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s